Crise hídrica mostra diferentes saídas para a geração de energia renovável

Você já parou para pensar onde e de que forma, foi gerada a energia que abastece o lugar em que você está agora com seu computador ou celular ligado? Imagino que a resposta seja não.

Você já parou para pensar onde e de que forma, foi gerada a energia que abastece o lugar em que você está agora com seu computador ou celular ligado? Imagino que a resposta seja não.

Mais uma temporada de estiagem e novamente chegam as discussões sobre energia no país, nós, consumidores, estamos gastando ainda mais com a conta de energia. A crise hídrica e a queda do nível dos reservatórios são responsáveis por um aumento de 52% no custo de energia.

Em todas as indústrias, este aumento impacta diretamente no custo de produção, obviamente são repassados aos produtos e inevitavelmente na inflação do país e na receita dos brasileiros.

E você pode estar se perguntando, mas o que isso tem a ver com o segmento de água e saneamento?

Tem tudo a ver, grande parte da energia gerada no Brasil são feitas por hidroelétricas, e os motores elétricos aplicados em bombas são responsáveis pela grande parte do consumo desta energia, no país e no mundo inteiro.

Desta forma, levantamos novamente a questão de como gerar energia de forma inteligente, eficiente e com mínimo impacto ao meio ambiente? Como encontrar fontes alternativas de geração de energia por meio do uso da água e esgoto? Reduzindo cada vez mais a dependência da forma tradicional de geração de energia.

Ultimamente, três formas de geração de energia não tão convencionais vem sendo utilizadas e mais debatias nos meios do setor e alguns projetos já estão inclusive em andamento.

Geração de energia solar para irrigação
Energia limpa para o crescimento sustentável do alimento

A agricultura já representa cerca de 25% do PIB brasileiro, tendo uma representatividade gigante no cenário global. Mas como fazer chegar energia elétrica no meio de plantações com proporções astronômicas de maneira barata?

Empresas brasileiras já começaram a viabilizar essa geração de uma maneira simples. Onde as placas solares que conectadas a um inversor de frequência ideal, como ACS355 da ABB (firmware específico para esta aplicação) é capaz de aproveitar a energia solar gerada através das placas, para alimentar o próprio equipamento e a moto-bomba acionada por ele. Ou seja, uma solução sustentável, que basicamente conta com um processo totalmente autônomo e de baixa custo, podendo ser responsável pela solução de uma situação, onde não temos energia elétrica disponível no local de abastecimento ou captação de água e também principalmente pela redução do custo de energia elétrica na produção.

Geração de energia através da pressão da água ou de esgoto

A pressão da água em determinados pontos da tubulação das concessionárias é tão forte que podem romper tubulações de água, desta forma, normalmente as empresas de saneamento consideram a instalação de válvulas de retenção de pressão (VRP).

Recentemente no país, as concessionárias de saneamento e também a industria, está também utilizando hidroturbinas para conter essa pressão e ao mesmo tempo, gerar energia limpa e eficiente.

Com as hidroturbinas combinadas aos inversores de frequência regenerativos, é possível gerar energia nestes pontos de alta pressão, ao invés de considerar válvulas, uma ideia super criativa que deverá movimentar o mercado nos próximos anos, mas que já está sendo empregada no Estado de São Paulo, pela principal empresa de saneamento da América Latina e em outros estados pela industria de irrigação.

Os drives regenerativos ACS880 fornecem total confiabilidade à aplicação, escalabilidade e desempenho para controlar a pressão e gerar energia limpa sem nenhuma relevância em termos de harmonicas. Com ampla faixa de potência e recursos, estão adaptados para todos os ambientes, incluindo os mais rigorosos como em aplicações de esgoto.

Geração de energia através da sobra de resíduo sólido

Mas o que queremos dizer com resíduo sólido? E com a sobra disso?
Vamos pensar em uma estação de tratamento de esgoto, seja de uma concessionária de água ou de uma planta de indústria, que precisa tratar a água e o esgoto, para devolvê-la à natureza. Ou seja, os resíduos sólidos, é todo o lixo proveniente deste tratamento e o que sobra ao final do processo, que é despejado usualmente em um aterro sanitário.

Empresas no Brasil, entre elas a ABB, já estudam projetos de geração de energia por queima do resíduo sólido e lodo, uma modalidade inovadora para o Brasil, mas já utilizada em outros países do mundo, que não tem uma geografia favorável e áreas extensas como a de nosso país, com espaço sobrando para os famosos e tão retrógrados, aterros sanitários.

Além de ser sustentável, a geração conhecida como biodigestão inicia-se com o recebimento do lodo de esgoto da estação, este lodo é armazenado em um tanque, além do material, são recebidos resíduos sólidos urbanos, como plásticos, que, após uma triagem, são separados da parte orgânica, o loto do Brasil favorece a qualidade do biogás. Isso porque os resíduos contêm muitas bactérias, o que leva a produção de um gás com grande participação de metano; o biogás gerado pelo processo da queima do lodo poderá ser integralmente utilizado na geração de energia elétrica, por meio da combustão do gás em geradores da ABB, especialmente desenvolvidos para esta finalidade.

Já está mais do que na hora, para não dizer que passou da hora, das empresas pensarem na geração de energia de maneira mais sustentável, independente e eficiente, para que no futuro haja opções viáveis, e no caso do esgoto, que tenhamos um ciclo fechado e completo do tratamento.

A ABB é um parceiro para te ajudar no planejamento destas soluções, com uma rede de parceiros para conectar a solução ideal ao seu negócio.

Gostou? Precisa de um consultor para te ajudar neste caminho?

Categorias and Tags
Sobre o(a) autor(a)

Rodrigo Teixeira

Gerente do segmento de água e saneamento da ABB Motion
Related stories
Comente neste post